Mês Missionário Extraordinário em outubro de 2019 no centenário da promulgação da Carta Apostólica Maximum illud sobre a atividade dos missionários no mundo, publicada em 1919 pelo Papa Bento XV.

Ler mais...

Anunciar a loucura de um Pai

Na homilia da missa de canonização do missionário Junípero Serra, Francisco pediu aos fiéis que saiam à procura dos que vivem na tristeza e no fracasso e anunciem “a loucura de um Pai que procura ungi-los com o óleo da esperança”.

Um novo coração me dá, Senhor,
O qual a Ti só tema, a Ti só ame...

Últimas Notícias

Boas - vindas

Bem-vindo

ao sítio de internet das Irmãs Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus.

Continuar...

Reparação

A REPARAÇÃO

Para uma missionária reparadora, o conceito de reparação “pretende ser o do Evangelho, inspirando-se no exemplo do Salvador que por todos sofreu, reparou e expiou, de preferência a qualquer inspiração de natureza diferente” (Escrito do Fundador)

Fátima

Classifique este item
(5 votos)

Índice

 

CENTRO CATEQUÉTOCO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

As atividades catequéticas realizadas na casa de Fátima desenvolveram-se. Isso contribuiu para que no ano de 1964 surgisse o “Centro Catequético de Nossa Senhora de Fátima”, nome que a casa ainda hoje conserva. Na origem do Centro Catequético está, sobretudo, o impulso evangelizador da Congregação das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus, em todo o país, especialmente na diocese do Porto. Alguns dados históricos referentes a Cursos e ao Centro Documentário Catequético no Porto comprovam a influência no surgir do Centro Catequético em Fátima.

Em 1940 começou a funcionar na Casa Mãe da Congregação, Rua Oliveira Monteiro, 833 – Porto, o “Curso de Cultura Religiosa e de Pedagogia Catequística”. Destinava-se a Catequistas e a Professoras de Religião e Moral. Foi muito apreciado e recomendado pelo Bispo do Porto D. Agostinho de Jesus e Sousa. Em 1956 passou a designar-se “Curso de Formação Religiosa e Catequística”, com uma nova estruturação e um programa a ser desenvolvido em seis horas semanais, ao longo de tês anos consecutivos e mais um ano de estágio. Em 1959 foram-lhe introduzidas novas modificações que justificaram ser considerado Curso Superior, passando a designar-se “Curso Superior de Cultura Religiosa”. Colaboravam com as Irmãs Professores de alta competência.


Ler 15334 vezes

Próximos acontecimentos

Não foram encontrados eventos